Arquivo do mês: outubro 2022

varrição

“Chega. Acabou. Agora saiam do caminho.”

Sem dizer palavra, a polícia dá sua mensagem apenas com seu movimento de tropa pela avenida.

A cena se repete todos os domingos. Depois de ficar horas fechada para veículos motorizados, e portanto livre para o uso das pessoas, a avenida Paulista precisa ser devolvida aos automóveis. Para isso, é preciso tirar aquelas pessoas dali.

Em formação, ocupando todas as faixas de rolamento e com pelo menos duas ou três fileiras de viaturas, a polícia vem varrendo as pessoas para frente ou para cima das calçadas, de volta ao local em que são confinadas cotidianamente, para que os carros possam viver livres pelas ruas. Atrás do pelotão, automobilistas acompanham o desfile, reforçando o bloco motorizado que tem a ala das viaturas policiais como comissão de frente.

A operação é utilizada não só nas tardes de domingo, quando encerra o horário do programa Paulista Aberta, mas também após qualquer ato público que, com ou sem autorização oficial, toma as ruas da cidade perturbando o viário. Dependendo da avaliação do comando quanto ao grau de ameaça representado por aquela população, o pelotão inclui também soldados a pé e em motocicletas.

Pelotão policial varre avenida de São Paulo após ato político. Foto: Dionizio Bueno.

Conforme a varrição vai passando, as transversais vão sendo liberadas. Ali, muitos motoristas já vinham se acumulando um tempo antes da liberação, ansiosos por poder retomar o seu espaço. Em vez de desviar sua rota e seguir por outras vias até seus destinos, eles preferem ficar ali esperando pela reabertura da via, talvez por um desejo, consciente ou não, de testemunhar e atestar a devolução.

É curiosíssimo observar suas expressões de satisfação ao receberem de volta seu tão precioso e venerado leito carroçável, por onde podem seguir felizes, livres enfim dessa gente que não tem o que fazer e insiste em ficar ocupando um espaço que não lhe pertence.

E assim a polícia segue cumprindo sua função social de garantir a defesa desse importante patrimônio – público? – que são os espaços de deslocamento na cidade.

Deixe um comentário

Arquivado em mundo concreto