Arquivo da tag: minúsculos

sortes

Você dirige, eu pedalo.
Você se arrasta, vou voando.
Você tem medo; eu, nem cinto.
Eu vivo vento, você encurralado.

1 comentário

Arquivado em brisas

até já, motorista

Algo cola em você, faz questão que você saiba como sua presença ali o incomoda. Freia em cima, pensa em buzinar, geralmente buzina, espera impacientemente, acelera, joga o carro pra lá num gesto cheio de atitude e passa por você olhando feio.

Evite agir como um espelho.

Continue sorrindo e apenas diga, mesmo só em pensamento: “Até já, motorista”.

1 comentário

Arquivado em brisas

pra quem pode

Manhã de quarta, proximidades do Ibirapuera, portão 9. Cruzo a avenida quando os carros param no sinal vermelho. Um motorista acompanha meu movimento. Pela cara, posso ler seus pensamentos.

“Ô moleza, pedalar no Ibirapuera numa hora dessas é pra quem pode…”

Engano seu, motorista. Apesar da minha bermuda e da localidade sugestiva, estou indo trabalhar. E já pedalei na manhã de hoje um pouco mais do que você imagina.

Mas em uma coisa concordo com você. Usar a bicicleta como meio de transporte é mesmo pra quem pode.

Deixe um comentário

Arquivado em brisas

vermes

Meu senhor, respondeu-me um longo verme gordo, nós não sabemos absolutamente nada dos textos que roemos, nem escolhemos o que roemos, nem amamos ou detestamos o que roemos; nós roemos.

(Machado de Assis, Dom Casmurro, cap. XVII)

Deixe um comentário

Arquivado em brisas

carona

Parado no trânsito da grande cidade, avista o amigo a caminhar pela calçada.

“Olá! Quer uma carona?”

E o outro:

“Obrigado, mas hoje estou com pressa. Vou a pé mesmo.”

1 comentário

Arquivado em brisas