pra quem pode

Manhã de quarta, proximidades do Ibirapuera, portão 9. Cruzo a avenida quando os carros param no sinal vermelho. Um motorista acompanha meu movimento. Pela cara, posso ler seus pensamentos. “Ô moleza, pedalar no Ibirapuera numa hora dessas é pra quem pode…” Engano seu, motorista. Apesar da minha bermuda e da localidade sugestiva, estou indo trabalhar….