quando não pode

Há vários anos, um amigo me contava de sua recente viagem ao Japão, onde foi encontrar seus antepassados e talvez uns parentes.

Ficou especialmente impressionado com a quantidade de radares e sensores de velocidade nas ruas da cidade. Havia fiscalização de velocidade em todos os lugares, em cada quarteirão, vias grandes ou pequenas, praticamente não havia possibilidade de alguém exceder a velocidade máxima sem ser autuado.

Então resumiu a situação com a seguinte frase: “Se você acordar atrasado, você vai chegar atrasado no trabalho, simples assim. Ou vai ser multado.”

Quando é assim, exceder o limite de velocidade é coisa que não pode.

5 Comentários

Arquivado em mundo possível

5 Respostas para “quando não pode

  1. Eu acho engraçado algumas pessoas falarem com raiva da “Industria de multas”.
    Se você está errado, você DEVE ser multado.
    Simples assim.

    • vento na cara

      Pois é, Fernando. Quando falam de “indústria de multas” estão defendendo o seu “direito” de cometer infrações. Na cultura brasileira, o normal é que as leis sejam levadas “na esportiva”. Quando não é assim, é “indústria de multas”…

  2. Pingback: aqui pode « vento na cara

  3. Pingback: autódromos públicos | vento na cara

  4. Pingback: novo hábito | vento na cara

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s